SUÍÇOS
DO BRASIL

BRASIL

SUÍÇOS
DO BRASIL

SUÍÇA
BRASIL

Robert Walther Arnold Rapp

Berna, Suíça
1879–1965

 

A história da família Rapp na Suíça teve início quando Johann Rapp, vindo da Alemanha, imigrou e foi viver em Merishausen, onde faleceu, em 1882. Seu filho Friedrich Walther Rapp casou-se com Rosina Katharina Jooss. O casal teve oito filhos, dentre eles Robert Walther Arnold Rapp, nascido em Berna, em 11 de julho de 1879.

Descendente de uma família modesta, Robert Walther Arnold Rapp era o primogênito.

Seu pai Friedrich Walther Rapp era barbeiro e arrancava dentes. Desde cedo teve que enfrentar as dificuldades da vida. Fez sete anos de escola normal, como toda criança na Suíça na época e depois, já com bolsa de estudos, fez um curso comercial, procurando complementar as necessidades com pequenos biscates.

Aos 20 anos conseguiu emprego numa exportadora suíça e veio tentar a sorte no Brasil. Chegou em 1º de agosto de 1900, tendo completado a maioridade durante a viagem de navio. Estabeleceu-se em São Paulo trabalhando com exportação de tecidos.

Em 1905, já bem-sucedido na vida, voltou pela primeira vez à Suíça para rever a família.

Na ocasião, ao visitar uma amiga na Alemanha conheceu Emilie Ulrich (1882-1938), que se tornaria sua futura esposa.

Ao voltar ao Brasil continuou a se comunicar por correspondência com Emilie, alemã de Karlsruhe, e em 15 de março de 1910, quando voltou à Europa, casou-se com ela.

Morou em São Paulo a maior parte de sua vida, trabalhando como representante comercial de tecidos, e foi um dos primeiros rotarianos do Brasil.

Em 1964, aos 84 anos de idade, teve a honra de ser condecorado com a Medalha de Mérito Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, que era concedida pela Sociedade Geográfica Brasileira para indivíduos que se destacavam no Brasil.

O casal Rapp teve três filhos, que nasceram e faleceram em São Paulo. Roberto Rapp Jr (1910-1992), engenheiro civil, construiu o Edifício Rapp, na Rua Haddock Lobo, na cidade de São Paulo. Joos Arnold Rapp (1912-1970), formado em Contabilidade, teve uma indústria de baquelite. Veronica Rapp de Eston (1918-2014), médica, casou-se com o médico brasileiro Tede Eston de Eston. Os dois foram professores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, fundaram o Centro de Medicina Nuclear, anexo à Faculdade, e introduziram a Medicina Nuclear no Brasil e na América Latina, tendo sido pioneiros nesta área. Veronica Rapp de Eston foi a primeira professora livre-docente da FMUSP e uma das cientistas mais respeitadas do Brasil.

Os três filhos e oito netos de Robert Rapp nasceram todos no Brasil. Alguns desses descendentes possuem a dupla cidadania, em cujos passaportes suíços aparece como local de origem Merishausen, no Cantão de Schaffhausen, na Suíça.

Robert Rapp faleceu em São Paulo em 25 de janeiro de 1965.